Lilian Nakhle

"Faltam palavras para o que a gente sente...Sobra emoção no que a gente vive. Seja bem vindo ! ! !"

Textos


  
 
        "As mulheres de Jabour, Chico e Vinícius"





Ao ler “Que saudades das mulheres de Jabor, Chico e Vinícius” (autoria de Ricardo Mraz, http://espirito-da-coisa.tumblr.com/) incluindo a segunda parte do mesmo, fiquei horas, e dias refletindo sobre a importância de cada parceiro nas relações amorosas, e principalmente sobre as inúmeras duvidas quando percebemos que homens e mulheres estão cada vez mais perdidos sobre sua atuação neste mundo contemporâneo.
Trata-se de um excelente texto e deixa aquele “gostinho de quero mais”...
Assim, com a licença do autor tive a ousadia de abordar e reforçar alguns aspectos.
Conforme aborda o autor:

 
“...Vamos pensar nos resultados da revolução sexual, muitas mulheres de hoje em dia descobriram o prazer sexual, o prazer de ser dona do próprio nariz, de ganhar o próprio dinheiro, e o resultado disso foi a busca desenfreada por prazer, como um adolescente que acaba de descobrir a masturbação. Junta a esta mulher, existe um homem que não sabe mais seu papel, compete por um mercado de trabalho cada vez mais voraz, existe uma constante quebra dos salários, fazendo com que este homem se sinta fracassado frente aos compromissos sociais. Formou-se um grande conflito.”
 
Atualmente várias pesquisas apontam que a grande maioria dos homens afirma que embora adorem sexo, não é por esse fator que eles definem o sucesso de um relacionamento. Demonstram que buscam mulheres inteligentes, com senso de humor, talento, responsabilidade e maturidade, mais ou menos as mesmas qualidades que nós mulheres buscamos.
Ressalto que a sabedoria do coração das mulheres é algo que encanta os homens e muitas vezes são elas quem os ajuda a atingir objetivos importantes.
A maioria das mulheres admira um homem que está em contato com seus sentimentos, elas procuram um homem sensível o bastante para compartilhar e respeitar suas emoções.

 
“Tanto o homem como a mulher, representam papeis diferentes e tem algo a oferecer um ao outro (aqui eu falo de papeis e não de gênero). Não mais devemos levar em conta o caráter de provedor ou de educador. Estes papeis podem ser vistos como de acolhimento por parte do feminino e de segurança por parte do masculino… um acolhimento longe do neurótico onde este feminino pergunta em que pode ajudar… uma segurança que não é de provedor, mas um masculino que mostre que estará ali se precisar...”
 


Mas, o problema é que muitas mulheres se tornaram parecidas demais com os homens. Com a “guerra dos sexos” algumas mulheres buscaram a independência financeira e conquistaram a mesma com muito esforço, acabando por não se casar, ou se divorciar prematuramente, e sempre estressadas. Porém existem também as mulheres que compreenderam a diferença nos hormônios e na estrutura do cérebro que separa os opostos, descobrindo novas maneiras de manter o relacionamento amoroso e de fazê-lo crescer mesmo diante das novas pressões. Estas mulheres apesar de conquistarem o sucesso profissional, mas não negaram a si mesmas o direito de serem mulheres. O fato de termos igualdade, no trabalho e em casa, não significa que devamos ser iguais. Para respeitar a individualidade do parceiro precisamos reconhecer que somos diferentes e apoiar estas diferenças.
Atualmente é comum as mulheres com independência financeira, sentirem que não precisam de um parceiro e assim desvalorizam o que um parceiro tem a oferecer. Deste modo a ansiedade e expectativa crescem nas mulheres e aumenta cada vez mais o número de homens insatisfeitos e “perdidos” diante delas.
Mas, já que as mulheres afirmam não precisar de um homem para a sua sobrevivência e segurança, o que elas precisam que os homens lhes dêem atualmente?
Muitas afirmam não “precisar” de um homem, mas sim querem dividir a vida com alguém. Percebo que para muitas delas “precisar” é interpretado como se elas fossem “fracas” e desqualificam a importância da sua feminilidade.
Precisar de um homem é o que dá a eles uma razão de viver e não significa fraqueza da mulher. Precisar deles é dar uma oportunidade de fazer uma diferença e manter seus níveis de estresse baixos.
A minha atuação profissional (psicoterapeuta) permite conhecer de perto as reais fragilidades, necessidades e reclamações de ambos os sexos. E há anos tenho comprovado que as mulheres demonstram precisar de um homem como companheiro, como um parceiro para atividade sexual regular, para se sentir amada, para suporte financeiro caso a mulher não possa trabalhar, para se sentir segura, para criar uma família, e por aí vai.
Posso afirmar que apreciar os homens tornam as mulheres mais atraentes, assim como compreender o quanto precisamos um do outro facilita o crescimento saudável de um relacionamento amoroso.
Quero ressaltar que outro item que colabora para dar suporte e força ao relacionamento é a individualidade saudável, porque um relacionamento não pode dar certo se um dos parceiros tentar destruir a individualidade do outro. Algumas pessoas (homens e mulheres) têm dificuldade de entender o valor do espaço individual (vital) em um relacionamento. Quem tem maior dificuldade para este entendimento? Homens ou mulheres?
Deixo o questionamento e espaço para outro texto ou artigo que certamente nascerá brevemente!
 
 
 
 
Lilian Nakhle
www.liliannakhle.com


Ricardo Mraz
http://espirito-da-coisa.tumblr.com/
 
 
 

 
LilianNakhle
Enviado por LilianNakhle em 22/01/2012
Alterado em 23/01/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras